Make your own free website on Tripod.com

 

OBJETIVOS E INFORMAÇÕES GERAIS

 

OBJETIVO: "Agregar os médicos do Hospital Mãe de Deus, através de uma forma associativa, que permita estabelecer uma parceria com o Hospital na busca de uma maior capacitação técnica de atendimento e de qualificação da produção".

FORMA ASSOCIATIVA: "Associação Civil, sem fins lucrativos, registrada no C.G.C.M.F., constituída por médicos que trabalham no Hospital Mãe de Deus, sendo a sua representante".

RELAÇÃO COM O HOSPITAL MÃE DE DEUS: "Constituição de Protocolos Operacionais que firmem compromisso entre as partes, no que diz respeito as responsabilidades individuais de cada parte na manutenção dos interesses comuns".

RELAÇÃO COM O CORPO CLÍNICO DO HOSPITAL: "Permitir o ingresso na Associação, a todos os membros efetivos do Corpo Clínico do Hospital Mãe de Deus, desde que cumpridas todas as exigências estabelecidas nos estatutos da Associação dos Médicos do Hospital".

1. FINALIDADE DA ASSOCIAÇÃO

2. ORGANIZAÇÃO DOS MÉDICOS

* Médico Efetivo - são os médicos que pertencendo ao Corpo Clínico do Hospital Mãe de Deus por terem sido devidamente credenciados pela sua Comissão de Credenciamento na categoria de Médicos Efetivos, venham a ser admitidos formalmente e independentemente como Sócios Efetivos pela Associação Médica;
** Médico Autorizado - são os Médicos que por terem sido devidamente credenciados pela Comissão de Credenciamento na categoria de Médicos Efetivos, venham a ser admitidos formalmente e independentemente como Sócios Autorizados pela Associação Médica.

- O credenciamento no Corpo Clínico do Hospital não obriga o médico a ingressar na Associação dos Médicos;
- O credenciamento no Corpo Clínico do Hospital, não ocorre de forma simultânea ao da Associaçãodos Médicos;
- O Presidente da Associação poderá ser um membro integrante da Comissão de Credenciamento do Hospital.

3. RESPONSABILIDADES DA ASSOCIAÇÃO

4. GESTÃO:

    4.1. - Órgãos da Administração Associativa

Diretoria - 07 membros (não remunerados);
Presidente;
Vice Presidente;
1º Secretário;
2º Secretário;
1º Tesoureiro;
2º Tesoureiro;
Diretor Científico;
Conselho Consultivo - 03 membros (Assembléia Ordinária);
Conselho Fiscal - 03 membros (Assembléia Ordinária).

    4.2. - Parte Administrativa (escritório no Centro Clínico - conj. 805)

Secretária;
Assessoria Jurídica;
Assessoria Comercial (a estudar).

    4.3. - Apoio

Software próprio e desenvolvido especificamente para a função.

    4.4. - Contribuição dos Associados

2% de contribuição sobre os valores repassados;
Taxa anual;
Recolhimento de impostos fica entre os médicos e os convênios;
Retenção do imposto de renda quando do repasse.

5. TABELAS

        A relação comercial com os convênios será feita em conjunto com o Hospital, através da Área Comercial. A Associação deverá atender a todos os convênios do Hospital, mediante a uma tabela aprovada pelos médicos, a ser negociada com cada convênio individualmente.

        Valor das consultas =
        Valor atendimento hospitalar Básica =
        Alguns convênios =
        Pequenos convênios =
        Meta da Associação =

6. PACOTES

        A formulação dos pacotes, com honorários médicos incluídos, passam a representar um diferencial competitivo bastante forte em nível de mercado. Entendendo que o compromisso das partes em cumprir os procedimentos estipulado no pacote, viabilizam a manutenção das margens de lucratividade pretendidas.
        Como forma de garantir a viabilidade dos pacotes, algumas responsabilidades deverão ficar fixadas, como:

  1. Elaboração dos preços dos serviços hospitalares;
  2. Fixação de preços competitivos com o mercado;
  3. Proceder com a comercialização junto a convênios e particulares;
  4. Fornecer relatórios gerenciais de desempenho técnico e financeiro dos pacotes.
  1. Fixar em conjunto com o Hospital os Protocolos de atendimento por procedimentos;
  2. Garantir a execução dos Protocolos firmados, atuando junto aos médicos;
  3. Fixar honorários médicos compatíveis com o mercado para os pacotes, de acordo com o perfil da demanda;
  4. Estabelecer em conjunto com o Hospital recompensa ao médico por desempenho superior, de acordo com os Protocolos estabelecidos.

7. PROTOCOLOS DE ATENDIMENTO

        Os Protocolos de Atendimento, de caráter operacional, tem por finalidade formalizar os compromissos assumidos entre o Hospital Mãe de Deus e a Associação dos Médicos, na busca de interesses comuns.

8. EMERGÊNCIA

        Atualmente o Serviço de Emergência conta com o pronto atendimento médico especializado através de empresas médicas contratadas pelo Hospital. Estas empresas estão estruturadas de acordo com as especialidades necessárias nos casos de atendimentos de urgências e/ou emergências.
        Neste caso, por se tratarem de médicos credenciados no Corpo Clínico, entende-se que os mesmos farão parte da Associação dos Médicos, o que futuramente possibilitará a elaboração de um Protocolo de atendimento entre o Serviço de Emergência e a Associação.